conheça meus serviços de consultoria de estilo

Emma Watson e a indústria da moda

Olha, confesso que andava um pouco desanimada e sem inspiração para postar aqui no GC, também porque a mudança aqui no blog está um pouco atrasada. Mas surge uma pauta interessante: o baile do MET que ocorreu na segunda-feira. O baile é uma das noites anuais mais importantes – ou de maior impacto – na indústria da moda e reúne vários nomes importantes do momento.

O evento conta sempre com a escolha de um tema que o identifica e posteriormente passa a fazer parte de uma exposição no Metropolitan Museum of Arts em Nova Iorque. O tema deste ano foi “Ser Humano x Máquina: A Moda na Era da Tecnologia” e muita gente tentou seguir a linha temática, Claire Danes maravilhosa até usou um Zac Posen que brilhava!

No entanto, quem roubou a cena e chamou todo mundo para um papo reto foi a Emma Watson! A embaixadora da ONU desenhou juntamente com a Calvin Klein e a Eco Age o look usado no evento com material reciclado. Foram utilizadas garrafas plásticas, que são uma das principais formas de poluição do planeta, para produzir o tecido necessário para as peças. Emma conta que tentou criar peças que ela poderia reutilizar separadamente, por isso fez uma calça separada da parte de cima, por exemplo, e ainda pensou na saia como sobreposição.

A indústria da moda é responsável por vários aspectos diários na vida de cada um de nós, incluindo o seu impacto negativo diante do ambiente, sendo a segunda maior indústria responsável pela poluição da água do planeta (!!!). Há muito descarte, pouca reutilização e atualmente, com as mídias digitais e a influência diária que a gente recebe, parece que nunca temos o suficiente e que sempre há algo que precisamos adquirir para que nos sintamos bem e “na moda”.

Diante disso, o que Emma Watson defendeu no evento precisa atingir o máximo de pessoas possíveis, porque nós podemos ser o caminho para que a indústria da moda perceba sua importância ambiental e repense o seu jeito de produzir moda. Mas para isso, nós precisamos aprender a consumir.

Questionamentos eficazes na hora de fazer uma compra consciente, tanto pessoal quanto ambiental:

  1. Essa peça transmite quem eu sou?
  2. Conseguirei coordenar looks com ela com as outras peças que já possuo?
  3. Diante da minha rotina, o quanto de uso conseguirei fazer dela?
  4. O preço vale a peça? Barato demais e pouca qualidade (pequeno ciclo de vida -> descarte) ou o preço é ok e a qualidade também (maior ciclo de vida -> diminui descarte)?

No processo de Consultoria de Estilo, o consumo consciente é um dos ensinamentos – na prática – que nos fortalecem tanto como conhecedoras de quem nós somos, como de colaboradora da nossa casa (o ambiente) e do nosso bolso! Qualquer dúvida ou mais informações sobre meu trabalho, é só enviar um e-mail para: contato@gabicarvalho.com!

 

4 comentários

  1. Ameeeei! Emma Watson nunca erra, sempre uma inspiração! E brilhante a ideia de enxergar o tema do baile sob a perspectiva do desenvolvimento sustentável. Tecnologia nos remete de imediato a certos padrões, alguns óbvios ou clichês, mas nem sempre lembramos dessa outra faceta, relacionada à moda sustentável. Além de falar sobre um tema tão atual e tão futurístico (hahaha), ainda aproveita a oportunidade para inspirar e popularizar a reciclagem, que, a despeito da importância, ainda é uma prática pouco incentivada e comercializada.

    1. Com certeza! Achei genial a ideia de levar essa discussão para um ambiente em que a responsabilidade ambiental é pouco visada e discutida! Espero de verdade que seja o início de uma mudança de pensamento que possibilite uma nova maneira de produzir moda! Obrigada pelo seu comentário!! 😀

  2. Minha matéria preferida do seu blog, tá escrevendo cada vez melhor! Também achei demais a Emma ter pensado nessa perspectiva menos óbvia (e contraditoriamente muito mais possível e necessária do que roupas que brilham – apesar de elas serem lindas haha) de como seria a moda no futuro. Muito coerente, seria incrível se esse discurso ecoasse dentro de mais pessoas!

    1. Muito obrigada, Mari! Muito feliz em ler isso, de verdade. Se cada um fizer a sua parte, tenho certeza que o discurso conseguirá alcançar mais pessoas! Beijo

Deixe o seu comentário!