conheça meus serviços de consultoria de estilo

Tag: comportamento

Links da semana

Vamos relembrar mais uma tag sumida aqui do blog? Fiz o GC para dividir informação sobre tudo o que envolve meu mundo e que abre sorriso no meu rosto, mas também pra mostrar as descobertas que eu faço durante minhas visitas em sites super bacanas por aí. Por esse motivo, amo o “Links da semana” e nem sei porque fiquei tanto tempo sem postar nada aqui…

O de hoje está um pouco reflexivo, mas garanto que vale a pena a leitura!

Já pensou que o problema pode estar no seu foco?1 - Foto Meio Clara Abrahim

Carta aberta da Alicia Keys explicando a sua decisão de não usar mais maquiagemalicia-keys-in-common

Este link é mais uma descoberta minha que quero compartilhar com você. Já ouviu falar na banda The Avett Brothers? Vem comigo aquitheavett

Sobre o cérebro e sua tendência a destacar o que é ruim. E como mudar isso. 🙂elpais

Espero que tenha gostado! Me fala nos comentários o que você gostaria de ver aqui no blog?

Beijo :*

Links da semana

Muita coisa bacana foi postada na internet nos últimos dias que fiquei sem fazer o balanço dos meus posts e links preferidos aqui no blog, por essa razão, acredito que o links da semana será mais recheado desta vez, haha, mas acho que você vai gostar, né?! Me conta o seus links preferidos nos comentários!!

A Stephanie do Chez Noelle fez um texto que eu me enxerguei em várias partes, só clicar aqui!

E para quem está buscando inspirações de maquiagem para o final do ano, a Bruna Tavares do Pausa para Feminices fez um tutorial maravilhoso inspirado em Star Wars! star-wars-batom-03

3. A Jojo do Um ano sem Zara resumiu cinco coisas que ela aprendeu misturando estampas e, como eu percebi que compartilho desses mesmos aprendizados, haha, achei que seria legal dividir aqui no GC! uasz

E se você lesse esse texto incrível da Ale Garattoni?! Djavan

 

O último na verdade não é um link, mas um quadro do Fashionismo em que a Thê faz uma retrospectiva do ano envolvendo moda, famosos etc! Vou colocar o link aqui e você pode ficar acompanhando! 🙂retrospectiva

Espero que tenha gostado! Beijoo

Como nós usamos nosso dinheiro?

Há alguns meses eu compartilhei na minha página pessoal do Facebook um vídeo do Caio Braz e, desde então, as minhas prioridades são refeitas e analisadas constantemente. O vídeo fala sobre como nós tratamos nosso dinheiro, como o usamos.

Eu não tenho tanta propriedade para falar do assunto, até porque ainda dependo dos meus pais financeiramente, mas eu tenho que admitir que esse vídeo mexeu comigo e veio na hora certa, sabe? Caio conseguiu falar exatamente o que eu precisava ouvir, mesmo já sabendo de muita coisa que ele afirma no vídeo, parece que vendo alguém falar aquela verdade cria raízes dentro de você. Por isso também que eu decidi fazer esse abrindo aspas.

Hoje é normal achar que precisamos de tudo e que se não tivermos, não ficamos bem com a gente, ficamos insatisfeitos. “Ah, tá na moda, é tendência, eu preciso dessa peça, dessa bolsa, desse sapato, desse cabelo (…)”, muitas vezes pensamos assim, né? Mas eu te pergunto: precisamos mesmo?! Eu amo moda, amo arte, amo comportamento e, sinceramente, acredito que sempre vou ser apaixonada por esse mundo, mas eu sei que por trás dele há muita futilidade. Não estou dizendo que a moda é fútil, porque discordo totalmente dessa afirmação, mas muitos nichos que envolvem esse mundo são e, infelizmente, acaba refletindo em muitos aspectos, incluindo a influência que tem nas pessoas.

O que nós precisamos é ter o controle sobre a gente. Ter consciência de quem somos e de quem queremos ser. Já parou para pensar que você pode ser apenas alguém que é conhecido por ter as coisas e não por ser quem você é? É dessa forma que você quer ser lembrado?

Mais do que ter algo material, é ter conhecimento, experiência, história para contar mesmo. Pensa aí um pouco e compare as conversas que você já teve na vida, as pessoas que já passaram por você, quais delas o papo era mais legal e interessante?! Quais dela te deixaram com vontade de viver, de explorar?

Isso é bem o que Caio fala no vídeo, a importância da experiência. Dinheiro é para ser usado com experiência, com viagens, estudo e não com produtos, roupas, etc, porque, convenhamos, isso nós temos de sobra, não é?

Como ele falou, é óbvio que vamos continuar consumindo produtos, mas isso não pode ser prioridade, esse é o ponto. Acredito que dessa forma a insatisfação passará longe.

A gente não vive sozinho!

Esta semana fui aos correios deixar algumas roupas que vendi na minha lojinha do enjoei e, enquanto embalava os produtos, me deparei com uma cena: uma senhora que já estava lá antes de eu chegar jogou alguns papéis no chão e andou em direção à porta quando uma funcionária dos correios chamou a atenção dela. “A senhora jogou papel no chão. Poderia colocar no lixo?” e a senhora respondeu: “O lixo é aí mesmo!” da forma mais ríspida e mal educada que eu já vi. Começou então uma pequena discussão que foi finalizada com a saída da mulher e com o sentimento de revolta de quem estava no local.

Eu nunca tinha presenciado uma situação desse tipo, apesar de já ter escutado algumas histórias, estar lá me fez parar pra pensar no assunto. Fico me perguntando o que leva alguém a ser tão grosseiro. Nada que tenha acontecido antes justifica uma atitude desse tipo e, infelizmente, há muitas pessoas que se colocam em primeiro lugar em tudo, como se os seus problemas justificassem suas atitudes e as pessoas ao seu redor tivessem culpa nisso.adrian-mcdonal

A gente não vive sozinho. O mundo não é só nosso. Dependemos das pessoas mesmo que indiretamente. Nossas atitudes precisam representar isso. E, sinceramente, não sei como alguém consegue se sentir bem depois de destratar alguém sem motivo algum (mesmo “tendo alguma razão”).

O Abrindo Aspas de hoje é para que reflitamos sobre nossas atitudes e ações com o outro. A harmonia e a educação melhoram consideravelmente o cotidiano. Não deixe que os seus problemas interfiram no seu relacionamento com as outras pessoas, pois se você permitir, o tão almejado mundo melhor ficará ainda mais distante.