conheça meus serviços de consultoria de estilo

Tag: consumo consciente

5 dicas para ser um consumidor consciente

Quando a gente sabe quem a gente é e que imagem gostaríamos de transmitir às pessoas, já temos uma ideia de como isso pode ser colocado em prática. Isso é bem trabalhado logo no início da consultoria de estilo, porque pode ser bem confuso descobrir o nosso estilo e, mais ainda, quais ferramentas são necessárias para transmitir essa ideia. Mas quando isso está bem trabalhado na gente, fica bem mais fácil filtrar tudo o que entra em contato com nossos olhos e desejos.

As mídias digitais são maravilhosas, nós temos acesso a qualquer tipo de informação a alguns movimentos das mãos, mas isso pode ser prejudicial quando o assunto é consumo, porque algumas postagens podem influenciar desejos e sentimentos dentro da gente – nem sempre positivos e muitas vezes incoerentes.

O post de hoje é para falar sobre cinco dicas para ter mais consciência ambiental na hora de consumir. Vamos às dicas?

comprarmenos

Se analisarmos Natal/RN , é notório o hábito dos natalenses de ir aos Shoppings da cidade mais de uma, duas, até três vezes durante a semana. E essa rotina, querendo ou não, é um pouco tentadora para quem gosta de consumir (e quem não gosta, né? haha). Passar pelas vitrines, caminhar e enxergar peças que você acha que precisa ter são desafios bem difíceis de superar. Nosso cérebro consegue, muitas vezes, boicotar aquilo que acreditamos. Por isso, a primeira dica é mudar a rotina e procurar outras formas de lazer. A gente consegue achar muitos lugares bacanas pela cidade, basta procurar!

qualidade

Nossa, essa blusinha está R$15,90???” “Que barganha! Não posso deixar passar!” — Será mesmo? Antes de analisar a qualidade da peça, você tem que se perguntar se você realmente não pode deixar passar porque vai fazer toda a diferença no seu guarda-roupas ou se é só pelo fato de ela estar “baratinha”. Mas, o mais importante, ela vai durar? De que material ela é feita? É tecido natural ou sintético? Será que é confortável? Nessas ocasiões, muitas vezes, nem experimentamos a peça e descobrimos posteriormente que ela não veste tão bem assim e o tecido não é lá muito confortável.

manutenção

Cuidar das peças que a gente compra deveria ser algo primordial na nossa rotina, afinal, tiramos dinheiro do nosso orçamento para investir nas peças do nosso guarda-roupas, né? É um repeito à nós mesmos, mas também ao meio ambiente, porque dessa maneira o descarte também é reduzido. Quanto mais conhecimento temos sobre tecidos e sobre quais compõe nossas peças, mais cuidados específicos damos à elas e, dessa maneira, maior durabilidade nossas roupas terão. E, fala sério, nada melhor do que conseguir aumentar a vida útil das peças que amamos, não é?

estilo

Foca no seu estilo pessoal. Sempre. Isso com certeza vai ajudar ao seu guarda-roupas ser mais conciso e funcional e você não vai ter tanta vontade de consumir tudo o que vê por aí, porque você sabe exatamente quem você é e que imagem você quer transmitir.

mentalizar

A mente é nossa e nada mais justo que deter o poder sobre ela, certo? Certo! Mas não é tão simples, é trabalhoso e requer força de vontade e insistência. O que eu costumo falar sempre: mentaliza o que você acredita ou o que você quer acreditar sempre que vier um pensamento ruim ou boicotador. Ou seja, sempre que vier a vontade, o desejo de ter algo porque viu alguém usando ou porque alguém falou que é essencial pra você, mentaliza o que você quer, quem você é e faça perguntas sobre a necessidade daquele produto pra você.

Essas foram algumas das dicas que, se colocadas em prática, conseguirão fazer diferença na sua forma de consumir e, com certeza, trará muitos benefícios para você e para o meio ambiente.

"Não desista, as coisas boas levam tempo"

Emma Watson e a indústria da moda

Olha, confesso que andava um pouco desanimada e sem inspiração para postar aqui no GC, também porque a mudança aqui no blog está um pouco atrasada. Mas surge uma pauta interessante: o baile do MET que ocorreu na segunda-feira. O baile é uma das noites anuais mais importantes – ou de maior impacto – na indústria da moda e reúne vários nomes importantes do momento.

O evento conta sempre com a escolha de um tema que o identifica e posteriormente passa a fazer parte de uma exposição no Metropolitan Museum of Arts em Nova Iorque. O tema deste ano foi “Ser Humano x Máquina: A Moda na Era da Tecnologia” e muita gente tentou seguir a linha temática, Claire Danes maravilhosa até usou um Zac Posen que brilhava!

No entanto, quem roubou a cena e chamou todo mundo para um papo reto foi a Emma Watson! A embaixadora da ONU desenhou juntamente com a Calvin Klein e a Eco Age o look usado no evento com material reciclado. Foram utilizadas garrafas plásticas, que são uma das principais formas de poluição do planeta, para produzir o tecido necessário para as peças. Emma conta que tentou criar peças que ela poderia reutilizar separadamente, por isso fez uma calça separada da parte de cima, por exemplo, e ainda pensou na saia como sobreposição.

A indústria da moda é responsável por vários aspectos diários na vida de cada um de nós, incluindo o seu impacto negativo diante do ambiente, sendo a segunda maior indústria responsável pela poluição da água do planeta (!!!). Há muito descarte, pouca reutilização e atualmente, com as mídias digitais e a influência diária que a gente recebe, parece que nunca temos o suficiente e que sempre há algo que precisamos adquirir para que nos sintamos bem e “na moda”.

Diante disso, o que Emma Watson defendeu no evento precisa atingir o máximo de pessoas possíveis, porque nós podemos ser o caminho para que a indústria da moda perceba sua importância ambiental e repense o seu jeito de produzir moda. Mas para isso, nós precisamos aprender a consumir.

Questionamentos eficazes na hora de fazer uma compra consciente, tanto pessoal quanto ambiental:

  1. Essa peça transmite quem eu sou?
  2. Conseguirei coordenar looks com ela com as outras peças que já possuo?
  3. Diante da minha rotina, o quanto de uso conseguirei fazer dela?
  4. O preço vale a peça? Barato demais e pouca qualidade (pequeno ciclo de vida -> descarte) ou o preço é ok e a qualidade também (maior ciclo de vida -> diminui descarte)?

No processo de Consultoria de Estilo, o consumo consciente é um dos ensinamentos – na prática – que nos fortalecem tanto como conhecedoras de quem nós somos, como de colaboradora da nossa casa (o ambiente) e do nosso bolso! Qualquer dúvida ou mais informações sobre meu trabalho, é só enviar um e-mail para: contato@gabicarvalho.com!